Não é só no futebol profissional que o dinheiro não tem trazido felicidade. No amador também a máxima está em alta. E o título do São Bernardo, da Zona Norte de Belo Horizonte, sobre o Frigoarnaldo, de Contagem, na decisão geral da 57ª edição da Copa Itatiaia, na manhã de ontem, no Estádio Independência, é uma prova disso.

Com um investimento menor, mas uma estratégia de jogo mais eficiente, apesar da inferioridade técnica, o São Bernardo soube segurar o Frigoarnaldo e explorar os erros do seu adversário. E está longe de ser uma injustiça a vitória por 2 a 0, conquistada com gols na fase final de cada etapa.

O centroavante Fabiano abriu o placar aos 42 minutos do primeiro tempo, num lance de muita categoria, em que driblou o goleiro Thiago antes de rolar a bola, quase sem ângulo, para o gol vazio.

Mas o personagem da decisão foi outro. Calango. Ele entrou na reta final da partida. No seu primeiro lance, levou cartão amarelo por uma falta violenta. No segundo, completou de letra um passe de Caça-Rato, que já tinha driblado o goleiro Thiago, decretando uma festa impressionante do lado da rua Pitangui, onde estava a torcida do São Bernardo.

E foi debaixo dessa torcida que ele comemorou, tirando a camisa, aquele que foi o gol do título do São Bernardo, com o vencedor da Chave Belo Horizonte voltando a ser campeão geral da Copa Itatiaia depois de cinco edições de hegemonia das equipes da Região Metropolitana.

Por tirar a camisa, Calango recebeu o segundo cartão amarelo, o que provocou a sua expulsão pelo ótimo árbitro Paulo César Zanovelli da Silva, com certeza uma revelação que em breve estará apitando o Módulo I do Campeonato Mineiro.

E a maior festa do futebol amador no Brasil tomou conta do gramado da Arena Independência. Com direito a palco, banner e grade, sem dúvida os jogadores dos dois lados viveram um dia que será para sempre.

Mas a essência do futebol amador não foi perdida. E a torcida do São Bernardo, que empurrou o time durante os 90 minutos, lançou o aviso: “Favela, favela, festa na favela!”. O 14 de janeiro foi especial para a Zona Norte de Belo Horizonte.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

comentários